Aqui haverá postagens interessantes sobre vários assuntos, alguns é claro, polêmicos, para provocar debates. Obrigado pela visita, tenha uma agradável leitura! Obs. Desaconselhável para menores de 16 anos, por conter palavras inapropriadas e/ou temas adultos!



WEB

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

RESUMO DAS FÉRIAS DE 2016-2017




Arquivo Particular - Com colega Sueldo na saída de férias no aeroporto Gov. Jorge Teixeira em Porto Velho-RO



Arquivo Particular - Após a queda do avião da Chapecoense por falta de combustível, todo o cuidado é pouco e nada como dar uma boa checada para ver se o abastecimento esta sendo feito corretamente. Eu e Sueldo, antes de entrar na aeronave, verificamos que  foram abastecidos exatos 16.000 litros de combustíveis. Na entrada no avião perguntei se 16.000 litros eram suficientes para chegarmos em Brasília, pelo que fui informado que chegaríamos sim e ainda sobrariam 40 minutos de vôo. Bem, é bom saber essas coisas né? Na saída de férias no aeroporto Gov. Jorge Teixeira em Porto Velho-RO
 


http://pt.foursquare.com/v/aeroporto-internacional-de-porto-velho--governador-jorge-teixeira-de-oliveira-pvh/4c66c70af7a80f473fec9e7a


As minhas férias de 2016-2017 de longe foram as mais longas, porém, foram as férias que eu mais aproveitei. Para mim, as férias oferecem duas possibilidades apenas: descansar ou aproveitar. Essas eu aproveitei. A ida de Porto Velho-RO a João Pessoa-PB não significava somente férias para mim, mas antes de tudo, uma oportunidade para troca de ares, em todos os sentidos. Desde de muitos de entrar no avião no aeroporto Gov. Jorge Teixeira em Porto Velho-RO, já havia traçado os meus objetivos. Quando o trem de pouso é acionado há poucos minutos do pouso em João Pessoa-PB, que na é na verdade na cidade de Bayeux, meu coração começa a bater mais forte. Foram quase doze meses de espera por esse momento tão sublime. Estar de volta a esse pedaço de chão tão maravilhoso penso eu que é o mesmo ao entrar no paraíso aqui na terra. É incrível a energia positiva que eu sinto quando entro no espaço aéreo do Estado da Paraíba. É algo que não consigo explicar direito. Para mim, basta dizer que é paraibano que eu o vejo como grande amigo de muitos e muitos anos, mesmo que seja pela primeira vez que eu o encontre. Finalmente o trem de pouso se encontra com a pista do aeroporto Castro Pinto. Estou na minha casa. Ainda que tenha nascido em Canoas-RS e morado boa parte de minha vida em Rondônia, me sinto paraibano, mesmo que só esteja por lá uma vez por ano. É impossível deter as lágrimas que insistem em sair de meus olhos, a emoção toma conta de mim. Mesma emoção vem da cabine do avião, na voz do comandante que não me recordo o nome, quando anunciou: - Queridinha tripulação, preparar para o pouso em João Pessoa-PB! 




Arquivo particular.


Ao digitar essas linhas, sinto a emoção daquele exato momento e estou tentando me controlar para não chorar, a fim de não atrapalhar o meu raciocínio em escrever essa postagem. Ao deixar o avião, agradeço à tripulação da TAM, pelo belo atendimento da equipe e ao comandante por dizer: Querinha tripulação! Quando toco o chão do aeroporto, diga-se de passagem, com o pé direito, mas nada de superstição, penso em fazer o gesto do Papa João Paulo II de beijar o piso, mas minha atenção se volta para o céu azul com poucas nuvens, uma temperatura agradável em torno dos 30ºC com aquela brisa já conhecida de todos. O sogro e seu velho amigo Alexandre estão nos esperando. Após os abraços de boas vindas, rumamos para a casa. Pelo caminho vou olhando cada detalhe. João Pessoa-PB mudou logo na entrada. O Viaduto Eduardo Campos, na entrada do Bairro Geisel, ficou muito lindo mesmo. Vejo uma bandeira enorme da Paraíba, os grandes mercados, Açaí, Atacadão, o estádio Almeidão. Ao chegar em casa o almoço já estava na mesa, só nos esperando, minha sogra fez tudo com o carinho de sempre. Tudo isso no domingo. No outro dia já comecei dar acionar meus contatos para o meu objetivo maior que é o de me transferir para lá. Ainda que pelos próximos quatro dias tenha ido incansávelmente em busca de meu sonho, não logrei êxito, paciência. Mas fui muito bem recebido pelos colegas de lá. Então era hora de curtir o Natal. A vinda do Nosso Salvador, Senhor Jesus. Estou casado há 11 anos, e eu não tive o privilégio de conhecer meu cunhado que já faleceu. Porém, bem na noite de Natal, para minha surpresa minha cunhada carioca resolveu nos presentear com sua visita. Também não tinha a conhecido anteriormente.


Arquivo particular. Praia do Bessa em João Pessoa-PB

Mas o mais legal foi conhecer as suas duas filhas que agora são também, minhas sobrinhas. Nosso primeiro encontro com minhas sobrinhas foram no Mag Shopping, na beira da praia de Manaíra. A diversão começou com cinema, Minha mãe é uma peça 2, depois fomos para jogar boliche. Era o primeiro encontro nosso. Natural de ficarmos meio encabulados uns com os outros. Coisa que já melhorou e muito quando após 4 dias após, nos encontramos novamente, no Shopping Mangabeira para  patinação no gelo. Eu e minhas sobrinhas entramos na pista. 
 


Arquivo particular. Mag Shopping em João Pessoa-PB
 
Claro que elas já tem as técnicas de patinar no gelo, eu fui me agarrando, até porque ainda tinha dores nas costas causadas pela viagem. Ficou marcado também um novo encontro no Kartódromo, porém, uma de minhas sobrinhas não tinha a altura mínima, coisa que ano que vem ela terá. Só adiamos por mais um ano essa diversão. Muitas idas à praia e encontros com colega de trabalho Jaime, no restaurante Golfinho na praia do Bessa. Almoço no Barril Gril também na praia do Bessa. As ondas estavam muito boas Eu como sempre, vou até onde elas se formam, deixo chegar a hora exata, e com uma impulsão no momento certo, fico em posição de flexa e deixo que a onda me leve, e ela me leva até o fim, me deixando no seco. Daí, volto e começo tudo outra vez. E assim sucessivamente por horas. Alugamos um guarda-sol por R$15,00 e ficamos lá por muito tempo. Tempo suficiente para que eu possa me cansar. 


Arquivo particular. Restaurante Golfinho, Praia do Bessa em João Pessoa-PB
 
Mas é difícil se cansar após ter esperado por quase um ano para desfrutar aquele momento incomum. Águas de côco, camarão, rubacão, arrumadinho, churrasco, pizzas, foram as minhas perdições. Ganhem alguns quilos após meses de sucesso. Agora é voltar com as dietas a fim de alcançar o peso anteriormente conseguido para nas próximas férias abusar novamente. Uns restaurantes foram demolidos, outros foram construídos. Um que eu comia buchada de bode em frente ao Mercado do Artesanato Paraibano não exite mais. Fiz amizade com escritor José Belo de Souza da Academia Paraibana de Poesia, o qual autografou o livro Sentimento das horas, 5ª edição, para mim. Essas férias ficarão marcadas por serem a primeira vez na vida que finalmente consegui alugar um carro. Isso mesmo, aos 52 anos nunca tive essa oportunidade, não que não tivesse dinheiro nada disso, mas a burocracia sempre me impediu de fazê-lo.



Arquivo particular. Tempos de novas amizades como a do meu amigo gremista Diego proprietário da RD SOM em Curitba-PR, com certeza sua festa será a melhor sob os cuidados de Diego. Confira no site: https://www.djsomcuritiba.com.br/ e também do amigo Rogeraldo Campina, um flamenguista de carteinha, fundador da FlaNego e propritetário da cerveijaria Devassa ou Forró do Turista como preferir, em João Pessoa-PB, sem dúvida voce deve conhecer quando aparecer por lá. Imperdível. Confira no site: https://jampaonline.blogspot.com.br/2013/06/cervejaria-devassa-abre-em-joao-pessoa.html 

Era muito bla blá, blá sobre quilometragens, sobre entregas, sobre tudo que faziam eu desistir. Não adiantava eu dizer que era para ser mais simples que eles não ouviam e lá vinham com aquela ladainha toda mais uma vez. Finalmente uma pessoa inteligente entendeu aos meus apelos. Por uma diária a R$65,00 com quilometragem livre. Paguei uma caução e retirei o carro. Simples isso. Por que sempre me complicaram? Fomos nos encontrar com minha prima que mora em Natal-RN, porém ela estava almoçando na praia de Pipa-RN, e para lá nos dirigimos. Pipa-RN é uma praia bonita, porém as ruas são muito estreitas, existem muitos turistas estrangeiros, parece uma babilônia, o restaurante Canxagá fica na beira do mar. Paisagem linda. Após nos encontrarmos, já pela noite, resolvemos seguir para casa de minha prima na praia de Ponta Negra, em Natal-RN. Apesar de termos comido o dia inteiro no retaurante, minha prima fez questão de fazer um delicioso carreteiro. 



Arquivo particular.

Ao amanhacer fomos para a padaria tomarmos um café reforçado, parecia um almoço, e descemos para a praia, ao pé do morro do Careca, cartão postal de Natal-RN. Brinquei com meu primo que também não conhecia, o Vitório, uma graça, ele tem apenas 4 anos, e quando a mãe lhe disse que iria conhecer um primo ele imaginou alguém da idade dele. Meio decepcionado no início, ficamos grandes amigos no fim a ponto dele me chamar de irmãozinho!!! Fizemos castelo de areia, mas a onda vinha e desmanchava tudo, daí iámos para para o seco, mas a maré também subia. Foi uma diversão só. Voltamos para João Pessoa-PB. Alugamos um quarto enorme na praia de Tambaú que é como que fosse a nossa casa, podendo usar fogão, máquina de lavar, etc. Vou publicar o endereço e telefone para quem quiser alugar lá também é só falar com a simpática dona Hélia. Muitos de Rondônia estavam por lá, é muita coincidência. Dia 15-01-2017, era dia de aniversário de minha esposa Claudia, e dia também que nos acordamos mais cedo de toda as férias, pois eu fui participar na Meia Maratona Parque da Lagoa de João Pessoa-PB 2017. Claro que não iria me inscrever nos 21 km, não tive treino para tanto, mas no de 5 km eu poderia sim, e lá fui eu, num trote à lá Romário, que fica  entre caminhada e corrida. Dias antes eu havia pego minha camisa e chip e número (meu número 632) na loja Sport e Ação no Manaíra Shopping.

 
Arquivo particular.


Encontrei no lindo Parque Solón de Lucena também conhecido como Parque da Lagoa no momento do aquecimento, minha colega Carmelinda, já aposentada e residindo naquele paraíso. Tiramos fotos. Comecei correndo e terminei correndo. Primeiro sairam os cadeirantes, depois os outros da corrida que eram dividos nos de 21,5 km, 10k, 5 km e os da caminhada. Para medalha bastaria completar a prova. Quando a corneta soou como nas maratonas que se vê na televisão eu i que o negócio era mesmo verdade. Era tudo verdade. Eu estava numa maratona de verdade. Não acreditava que Deus tinha me proporcionado mais esse momento de pura alegria. O itinerário começou em frente ao restaurante Zeny na Lagoa, passou pela frente do TRT 13, entrou na Av. Epitácio Pessoa, dali há pouco já dava para ver o prédio da faculdade Maurício de Nassau, onde era o retorno. Daí íamos até a TV Cabo Branco e novamente chegamos ao restaurante Zeny, só que para completar tinha que dar uma volta inteira na lagoa.

 Arquivo particular.
 
A colega Carmelinda me chamou várias vezes para uma olhada e tirar foto mas eu não ouvia-a. Estava muito concentrado. Terminei sobrando. Incrível. Nada de cansaço. Recebi minha medalha que guardo com muito carinho. Talvez essa prova seja realizada nessa mesma data ano que vem e daí eu irei participar também. Na classificação geral dos 5 km, segundo site www.zeniteesportes.com, fiquei na 98ª posição com tempo líquido de 54 minutos, nada mal para minha primeira corrida oficial na vida e para quem não treinou. Estou orgulhoso de mim mesmo. Também fizemos um tour pelas praias do litoral Sul, Praia do Amor, Camboinhas, Tambaba, Barra de Gramame. Assim foram as minhas férias de 2016-2017. Pronto para recomeçar o ano com esse blog cheio de energias renovadas. Foi um privilégio contar com a leitura de vocês. Até a próxima postagem e fiquem com Deus.